apresentado por

Electrolux

Homepedia
Foi em uma ensolarada manhã de dezembro que o fermento natural recém-nascido na cozinha transformou as nossas

Você sabe o que é levain? Aprenda a fazer seu fermento natural

Foi em uma ensolarada manhã de dezembro que o fermento natural recém-nascido na cozinha transformou as nossas vidas

Vou contar a história do meu fermento. 

É bem pessoal. E, pelo menos para mim, bastante linda. Ele nasceu por causa de uma sessão de terapia, após 60 minutos de reclamações sobre o quanto, na época, minha vida estava consumida pelo trabalho. 

Claudia, a psicóloga, ouviu tudo atentamente e fez apenas uma recomendação, quando eu já me levantava para ir embora: “Priscila, você está sempre correndo. Sempre chega aqui atrasada, tem dias que nem consegue vir... Que tal usar a cozinha, onde sei que você gosta de estar, para fazer algo que te obrigue a ter calma? Algo que faça você parar de pensar no trabalho?”.

Quando cheguei em casa, olhei para a estante de livros de cozinha e fui abduzida pelo “Pão Nosso”, do querido amigo Luiz Américo Camargo. Quando bati o olho nele já sabia qual seria a minha lição de casa. E fui, ainda no meu ritmo apressado, direto para a página com o título: “Crie o seu fermento natural”. 

O passo a passo estava dividido em seis, e o fermento levaria pelo menos nove dias para ficar pronto. Percebi duas coisas: que teria de conter a ansiedade e que, durante a maior parte do processo, eu não estaria no comando. Tudo dependeria de um casamento feliz entre os 50 gramas da farinha de trigo integral e os 60 ml do suco de abacaxi. Sim! Foi com esta mistura maluca que tudo começou.

A primeira tentativa não deu certo. E lá pelo quarto dia tive de jogar tudo fora. Mas comecei de novo. Perseverança fazia parte da lição de casa. Foram dois dias para ver os primeiros sinais de fermentação aparecerem. Nos passos seguintes, com a vida borbulhando ali, começa a rotina de descartar parte do fermento e alimentar a outra com farinha e água.

Meu namorado, Tomás, se empolgou com a experiência e seguimos os dias respeitando os prazos, as quantidades e a metodologia do livro. No décimo dia, o fermento havia crescido e já estava forte o bastante para dar origem ao nosso primeiro pão.

Trabalho concluído? Não! Os cuidados com o levain não param quando ele fica pronto. Ele precisa ser alimentado. Quando a gente viaja por muito tempo, precisa pedir pra alguém cuidar, se não ele morre. Já chegamos até a levá-lo em uma viagem para a Bahia – e ainda bem, porque foi maravilhoso poder comer muitos pães, feitos com o nosso fermento, lá na praia.

Digo “nosso” não somente porque o fizemos. Mas porque é formado por pequenos seres que habitam a casa – as leveduras e os lactobacilos. É por isso que cada fermento tem uma personalidade única. Porque ele também é resultado do lugar onde é cultivado e das pessoas que vivem ali.

No fim daquele ano, o Tomás decidiu fazer panetone com o levain. Quando vi a massa descansando – uma bola grande e perfeita – pensei em como nossa casa estava fértil. De amor, de alegria, de esperança com novos projetos. 

E soube, naquele momento e num contexto totalmente inesperado, que estava grávida do Antonio. De alguma forma, foi o fermento quem me contou. Ele sabia que estávamos prontos para cuidar de mais uma vida dentro da nossa casa.

Quer fazer o seu próprio levain?

Ingredientes:

Farinha de trigo integral
60 ml de suco de abacaxi feito com a fruta batida e coada (sem adição de água)

Passo a passo

Misture 50 gramas da farinha de trigo integral a 60 ml de suco de abacaxi. Guarde num local seguro e espere até aparecerem os primeiros sinais de fermentação – o que pode acontecer em um dia, se estiver calor, ou em até três dias, se estiver frio.

- Quando começarem a surgir as bolhas, adicione mais 30 gramas de farinha de trigo integral e 20 ml de suco de abacaxi.

- Deixe descansar por um ou dois dias – novamente a depender dos sinais de fermentação. Ou seja, do surgimento das bolhas.

- O passo seguinte é alimentá-lo novamente, agora com 50 gramas de farinha de trigo integral e 30 ml de água.

- Após 24 horas, jogue fora metade da mistura. Em seguida, adicione 75 gramas de farinha de trigo integral e 30 ml de água.

- Aguarde outras 48 horas. O fermento cresceu? Então vamos ficar só com 100 gramas dele (pode se desfazer do restante) e superalimentá-lo com 300 gramas de farinha de trigo integral e 240 ml de água.

- Chegou a hora de ele ir para a geladeira, onde vai crescer novamente. Seu levain estará pronto.

- Antes de fazer o seu primeiro pão, repita o último passo, para que o levain fique forte: fique apenas com 100 gramas do fermento e junte a ele 300 gramas de farinha de trigo integral e 240 ml de água. Aguarde entre quatro e doze horas para começar a panificar.
receita de fermento natural

 

Publicidade Publicidade Home

Mais Lidas