apresentado por

Electrolux

Homepedia
Chame os amigos e invista em um menu surpreendente, baseado nas práticas dos melhores restaurantes do mundo

Como preparar um jantar estrelado em casa

Chame os amigos e invista em um menu surpreendente, baseado nas práticas dos melhores restaurantes do mundo

Cobrir gastronomia me levou a comer algumas dezenas de estrelas. É com elas que o Guia Michelin avalia, todos os anos, se um restaurante é muito bom (uma estrela), excelente (duas) ou notável (três).

Como quase sempre passo por essas experiências sozinha, a trabalho, costumo pensar em como poderia dividir aquele momento – e aqueles sabores – com quem eu amo. Uma forma é escrevendo. Outra, mais ousada, é levando pelo menos algo daquela experiência para o meu fogão.

Não terei o ingrediente recém-colhido da horta nem passarei perto da técnica que um cozinheiro levou tanto tempo e suor para conquistar. Mas dá para brincar com algumas práticas sempre presentes nas cozinhas mais premiadas.

Uma delas é revelar todo o sabor de um bom ingrediente em uma cocção sem disfarces. Alain Passard, do três-estrelas L’Arpège, é mestre nisso. É dele a dica a seguir, que peguei na primeira vez que comi em seu elegante restaurante, na rue de Varenne, em Paris:

Faça uma cama de sal grosso no meio da assadeira. Acomode ali uma beterraba e complete com mais sal grosso, até cobri-la por inteiro. Leve ao forno preaquecido a 200ºC e deixe lá por uma hora e meia.  Ao retirar, quebre a crosta de sal e corte a beterraba em suculentos pedaços.

Outra forma de se divertir na cozinha é “transformar” um ingrediente em outro. Tem uma receita de Alex Atala, em seu livro “D.O.M. – Redescobrindo Ingredientes Brasileiros”, de que gosto muito:  caviar de quiabo.

Ele pede para retirar as sementes do quiabo e deixá-las de molho em água e gotas de limão. Em seguida, é feito um cozimento de quatro minutos em água e sal. Depois, as sementes passam por um caldo de legumes tostados. Uma iguaria!

Valorizar os ingredientes locais é outra regra dos grandes cardápios. Se puder comprar de pequenos produtores, melhor! Para doces bem brasileiros, que tal um pudim de tapioca ou uma tortinha de banana com castanha-do-Pará?

As histórias por trás das receitas e dos ingredientes é outro componente muito presente à mesa dos restaurantes. Conte também aos seus convidados e o sucesso estará garantido.

Quer ver as receitas completas? Vou publicá-las no meu Instagram. Vá lá: @priscilapastre

receitas com quiabo para um jantar

Publicidade Publicidade Home