apresentado por

Electrolux

Homepedia
O designer de interiores Henrique Freneda mostra que você não precisa ter medo na hora de abusar das cores

Paleta de cores: designer ensina como usar tons vibrantes na decoração

O designer de interiores Henrique Freneda mostra que você não precisa ter medo na hora de abusar das cores

Cores fortes e vibrantes podem representar autenticidade e trazer muito charme para o décor. De todo modo, muitos têm receio de ousar na hora de escolher a paleta de cores, com medo de criar um carnaval na sala de casa. Para te ajudar nessa hora, o designer de interiores Henrique Freneda, do escritório Freneda Interiores, traz dicas que mostram que é possível usar cores vibrantes e ainda assim ter uma decoração harmoniosa. Confira abaixo.

Escolha as cores certas para cada ambiente

Cada cor possui significados e transmite diferentes sensações, por isso mesmo pode ser um guia para as suas escolhas. “Aconselho pensar especificamente nos cômodos da casa e seu objetivo para aquele local”, diz Freneda. Por exemplo, se você está montando um home office, a dica do designer é optar por uma mescla de tons neutros com, por exemplo, o amarelo, que estimula a criatividade. Espaços que pedem mais tranquilidade e relaxamento, como os quartos, podem receber tons de azul e branco.

Home office com bancada de madeira e parede na cor amarela. Uma boa dica para home office é usar a cor amarela, que estimula a criatividade.  

Para escolher a cor de cada ambiente ainda é importante pensar na dimensão do seu cômodo, pois isso pode influenciar na decisão final. As tonalidades vibrantes são perfeitas para os espaços maiores, pois concedem a sensação de acolhimento, mas isso não impede que você escolha uma cor vibrante para um espaço pequeno. O seu lavabo, por exemplo, pode ser todo preto ou dourado. “Nesse caso, assuma a coloração no revestimento ou no papel de parede e combine com os demais elementos”, afirma o designer de interiores.

Faça uma boa mistura de cores em cada ambiente

Na hora de mesclar cores e tons, muitas pessoas podem ter dúvidas, mas Freneda esclarece: “Não precisa ter medo de colocar cores nos projetos, basta dosar o uso e seguir a personalidade do morador”. A dica dele é escolher um ou dois tons que vão prevalecer no ambiente e abusar das misturas nos objetos de decoração.

Por exemplo, se o azul e o verde foram escolhidos como cores dominantes, você pode optar por um mobiliário e objetos decorativos em tons mais quentes como o caramelo e o rosa queimado. “Dessa forma, o contraste tornará o espaço mais aconchegante e agradável”, explica o designer.

Uso de cadeiras coloridas na decoração, como essas verdes Detalhes coloridos fazem a diferença nesse projeto do designer Henrique Freneda. Foto: Celina Germer. 

Ainda em dúvida? Aposte no tom sobre tom

Se a mistura de cores ainda te deixa com receios, uma boa opção é optar pelo ton sur ton, isto é, um tom sobre outro tom. Você pode criar ambientes monocromáticos combinando a cor das superfícies com os móveis, assim a mesma tonalidade surge de forma inovadora em vários pontos da residência, formando uma bonita composição. No projeto abaixo, por exemplo, Henrique Freneda conversa o tom da parede com o do sofá, criando uma unidade no ambiente.

Tendência de tom sobre tom com cores azul, cinza e verdeTendência de tom sobre tom em projeto de Henrique Freneda. Foto: Celina Germer.

Iluminação e outros detalhes que podem fazer a diferença

Na hora de ousar nas cores, a iluminação pode ser a sua aliada ou mesmo se tornar a sua inimiga, por isso é importante escolher pendentes, luminárias e lâmpadas que se comuniquem de forma certeira com os tons escolhidos. Lâmpadas brancas, por exemplo, garantem um espaço mais leve, já as amareladas deixam o cômodo mais aconchegante. Além da iluminação, espelhos e itens transparentes podem fazer a diferença em seu ambiente, para evitar que fique com aquele ar sobrecarregado pelas cores.

Se mesmo com todas essas dicas você segue com medo, Henrique Freneda recomenda que se comece colocando pontos de cor através de pequenos detalhes do mobiliários: uma poltrona de cor vibrante; um belo quadro em tons fortes; ou mesmo almofadas coloridas. Itens simples podem ser um primeiro passo no uso das cores, assim fica mais fácil modificá-los caso você se canse ou não se sinta confortável com esses tons. 

Detalhes da iluminação em sala com paredes coloridas Atente-se a iluminação nessa sala de paredes coloridas, em projeto de Henrique Freneda. Foto: Celina Germer.


No final das contas, Henrique Freneda esclarece . "A personalidade do morador que dita as regras para a decoração”, por isso você deve criar espaços que sejam aconchegantes e confortáveis para você. Aproveite essas dicas para deixar a sua criatividade trabalhar!

Publicidade Publicidade Home